Hospital Alberto Rassi
Acesso à informação Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(27/03/2019) Usuários do AMA são orientados sobre os riscos da tuberculose pulmonar

Palestra foi ministrada pela equipe de pneumologia do HGG na última quinta-feira, 21 de março

Na última quinta-feira, 21 de março, parte da equipe do Serviço de Pneumologia do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG, o residente Rodolfo Furtado e a staff Natália Carelli, ministraram a palestra sobre a tuberculose pulmonar no Ambulatório de Medicina Avançada (AMA) da unidade. A palestra foi realizada em alusão ao Dia Mundial de Combate à Tuberculose, 24 de março.

A tuberculose é uma doença infecciosa e transmitida pelo ar. A pessoa infectada ao falar ou tossir, elimina pequenas gotículas de água, contendo os bacilos. O principal sintoma é a tosse, por três semanas ou mais e o paciente pode também apresentar perda de peso e febre baixa no fim do dia, acompanhada de suores noturnos.

Durante a palestra, os profissionais explicaram que logo nas primeiras semanas de tratamento, o paciente se sente melhor e, por isso, deve ser orientado pelo profissional de saúde a realizar o tratamento até o final, independente da melhora dos sintomas. Se ocorre a interrupção, os bacilos podem desenvolver resistência e voltar a se proliferar. Os profissionais esclareceram ainda sobre o diagnóstico, prevenção e o uso de máscaras.

“Segundo dados do Ministério da Saúde, a tuberculose pulmonar foi a que mais matou no mundo em 2016, somente no Brasil foram 69 mil casos naquele ano. Segundo a OMS o Brasil está na 20ª posição de prioridade em combate à doença. É preciso conscientizar a população, pois, apesar de o índice decrescer, ainda é de forma lenta e o controle depende de cada um de nós”, ressaltou o residente em pneumologia do HGG, Rodolfo Furtado.

Diagnóstico

O diagnóstico da tuberculose é feito por meio de exame clínico com intuito de levantar o histórico do paciente com suspeita da doença, envolvendo sinais, sintomas e investigação, além de exame do escarro por meio de coleta de amostras e raio-x do tórax. Segundo os profissionais, o uso de máscaras vale para todas as doenças respiratórias e é o suficiente para evitar o contagio.

A prevenção da tuberculose ocorre por meio da vacinação BCG, higienização das mãos e residência bem ventilada, evitando ambientes fechados. E vale lembrar que a doença não se transmite por objetos compartilhados, se os mesmos forem devidamente higienizados, como talheres e copos.


Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.