Hospital Estadual Alberto Rassi
Acesso à informação Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(07/02/2024) HGG leva projetos de humanização para evento no TRT-18

Público que participou do 33º Colóquio da Academia Brasileira de Direito do Trabalho, pôde conhecer iniciativas que levam cultura e arte para dentro do hospital

O Hospital Alberto Rassi – HGG marcou presença no 33º Colóquio da Academia Brasileira de Direito do Trabalho, e apresentou ao público os projetos de humanização realizados pela unidade. O evento, promovido pelo Tribunal Regional da 18ª Região - TRT-18, foi realizado nos dias 29, 30 e 31 de janeiro e reuniu juízes, procuradores, auditores, advogados e estudantes de direito. O público que transitava entre os auditórios dos Goyazes e Vila Boa, no salão principal do TRT, contemplava as quase 30 telas pintadas por pacientes do HGG, curtia um show com artistas parceiros do Sarau do HGG e apreciava a exposição fotográfica ‘A Justiça que TRANSforma Vidas’, feita com os pacientes do Serviço Transexualizador do hospital.

Sob a orientação do artista plástico Alexandre Liah, durante o evento, foram oferecidas telas em branco, tintas e pinceis para aqueles que tivessem interesse em se expressar através das cores. “Nosso intuito é demonstrar o quanto a arte é prazerosa. Alguns pacientes nunca tiveram contato com uma tela ou pinceis e, durante a estadia deles no HGG, eles podem se esquecer dos problemas e se expressam através da pintura. Esse ano a gente completa 10 anos deste projeto terapêutico que promove um momento de leveza aos nossos pacientes”, explicou.

Entre uma palestra e outra, a estudante de direito, Jéssica Rayane Martins aproveitou para pintar sua tela. “Foi uma boa surpresa ter esse momento aqui no evento. Não sou boa em pintar, mas acho super relaxante. Não tive tanto acesso a momentos assim, mas faço questão que meus filhos se expressem, seja dançando, pintando ou cantando”, disse.

O Sarau do HGG também se fez presente no TRT, com duas apresentações: o pop rock do cantor Edu Moraes e a música instrumental de Felipe Marciano e John Violino. Parceiro de longa data do projeto, Edu afirmou que sempre atende aos chamados do Sarau por se identificar com a proposta. “É gratificante poder fazer parte da história do Sarau do HGG. Ao longo destes anos, vivenciei momentos muito marcantes juntos aos pacientes. E hoje, aqui no TRT, foi a oportunidade de mostrar um pouco do trabalho que é feito com os pacientes do hospital”, afirmou.

A segunda apresentação, que também marcou o encerramento do evento, ficou por conta do violoncelista, Felipe Marciano, e do violinista, John Violino. A dupla animou o público com reinterpretações de hits do momento. Felipe Marciano se apresenta no HGG há 10 anos e disse que tem um carinho especial pela unidade. “É uma oportunidade de levar nossa arte para pessoas que, às vezes, estão passando por um momento delicado”, disse.

Estreante no Sarau, o violinista John Violino animou os presentes com uma apresentação de violino interativa. Em vários momento do show, o artista desceu do palco para tocar no meio do público. “Eu atendi ao convite do Felipe para vir aqui hoje e me diverti muito. Se deixassem, eu tocaria mais três horas. Eu já conhecia o Sarau, mas nunca tinha participado. Foi uma oportunidade para as pessoas conhecerem o que o hospital propõe semanalmente aos pacientes. É uma iniciativa muito bacana”, afirmou.

O HGG também se fez presente no TRT-18 com a exposição ‘A Justiça que TRANSforma Vidas’. Quem passava pelo hall principal do tribunal pôde ver as fotos de pessoas que fazem parte da história do Serviço Transexualizador do hospital, projeto especializado no tratamento e acompanhamento médico e multiprofissional a transexuais, travestis e outras identidades de gênero. A advogada Sara Gouveia fez questão de ler e apreciar todas as fotos. “Dá pra ver que o hospital tem um cuidado com estas pessoas. Parabéns pela iniciativa e por colocar esses pacientes como protagonistas de uma exposição. Eles merecem todo o espaço do mundo”, avaliou.

Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.