Hospital Estadual Alberto Rassi
Acesso à informação Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(20/01/2023) 1º Festival do Riso no HGG proporcionou muitas gargalhadas e surpreendeu pacientes

Pacientes, acompanhantes e colaboradores aproveitaram os dois dias de programação com artistas variados e muita alegria

O Hospital Estadual Alberto Rassi - HGG realizou entre os dias 17 e 18 de janeiro, o 1º Festival do Riso do HGG, e reuniu na programação palhaços, humoristas, performances e show com drag queen. As apresentações aconteceram no auditório Dr. Luiz Rassi e também no Ambulatório de Medicina Avançada (AMA) e Apoio Diagnóstico, abrangendo uma grande quantidade de pacientes, acompanhantes e colaboradores, que também ganharam sorrisos ilustrativos, o que deixou tudo ainda mais divertido. A iniciativa foi em celebração ao Dia Internacional do Riso, comemorado em 18 de janeiro.

A drag queen, Ravenna Veracit, deu início ao evento, no dia 17, e fez questão de comentar que nunca havia feito um show em um hospital antes, e que, mesmo sendo um público muito diferente foi uma experiência maravilhosa. “Achei incrível que logo a plateia animou, as pessoas participaram, então foi muito leve, a minha vontade foi de ficar mais um pouco e brincar com mais pessoas, porque eu me senti super aceita e vi que estava fazendo a diferença. Conseguimos dar um momento para que eles esquecerem das dores e acreditar, ver o lado bom da vida. A música do final, do Balão Mágico, é sempre a minha música de encerramento, porque eu quero que as pessoas lembrem da infância, lembrem o quanto eram felizes, e hoje ela teve um sentido amplificado em 10 vezes mais”.

Liliane da Cunha é paciente do HGG, durante a apresentação foi convidada por Ravenna para subir ao palco e como errou a pergunta feita pela artista, teve que pagar uma “prenda”, e acabou surpreendendo a todos dançando animada ao lado da drag. “Achei que foi bom demais da conta, eu fiquei com um pouco de vergonha, mas me deu ânimo. Eu fui brincando, brincando, até que fiquei alegre. Eu nunca tinha assistido um show desses, e eu não tenho preconceito com nada, então foi legal porque na minha casa eu danço funk, forró e música eletrônica”, contou Liliane que está internada desde o dia 14 de janeiro, aguardando cirurgia.

“Achei muito divertido, deixou todo mundo feliz. Trouxe sorriso para quem estava no quarto, até meio sonolento, com tristeza, eu mesma era uma dessas. Eu internei hoje, para realizar a minha cirurgia bariátrica, e eu estou tranquila, pois essa apresentação me trouxe sossego, paz, muitos risos. Tinha muito tempo que eu não dançava, mudou o nosso astral, principalmente das pessoas mais velhas, tinha muita gente apreensiva. Até comentei com a minha colega: que benção de Deus”, enfatizou a paciente, Rosimeire da Silva Castro.

Ainda na terça-feira, Fio Dental, personagem do humorista Dejota Camargo, que já esteve internado do HGG, retornou com um pocket show, e além de piadas, levou mensagens motivacionais. “É uma oportunidade de doar um pouco de alegria e receber dos pacientes as energias positivas. Eu gosto muito de me apresentar para o público do hospital, porque eles estão aqui, com a saúde debilitada e sempre ficam muito atentos à apresentação, que é diferente de outros lugares”, declarou.

No dia 18 de janeiro, a programação começou com a apresentação de personagens do Circo Laheto, que fizeram malabares e divertiram pacientes e acompanhantes que aguardam consulta no AMA. Dalila Rodrigues de Souza, a Mundiquinha, faz parte da trupe há 24 anos, e disse que é sempre emocionante se apresentar para os pacientes. “Todo ano que eu venho, fico emocionada em trazer alegria para o pessoal. Trazer a nossa arte, também é trazer esperança de vida, expectativa de mudança, transforma o coração de todos, as vezes vem até a cura. O riso com certeza é o melhor remédio”.

Lorrayne Amorim de Araújo é recepcionista do HGG há 7 anos e fez questão de ressaltar que a iniciativa traz muita alegria para o ambiente de trabalho. “Foi uma surpresa hoje, e é muito bom poder passar essa alegria para os pacientes, e pra gente também. Contagia, né?! Logo de manhã, já começamos o dia com sorrisos. O circo traz recordações de criança, do tempo que a gente ia assistir as apresentações, traz muitas lembranças boas. Só de ver, o rosto já muda”.

A paciente Maria Abadia de Vasconcelos disse que há muitos anos não via uma apresentação de circo. “Eu achei muito lindo, divertido, eu gostei. Hoje em dia a gente quase não vê. Eu estou tratando uma dor no joelho, mas já estive aqui em 2014, quando tive câncer de pele e eu lembro que já existiam essas brincadeiras aqui, então é muito bom, para quem está doente, porque rir ajuda na recuperação”.

Ilda Maria, é paciente do HGG, e disse que adorou a tarde. “Eu internei hoje, fui chamada para fazer a cirurgia do túnel do carpo. Foi muito engraçado aqui, eu recomendo que façam em outros locais e que venham mais pessoas, que possam estar fazendo esse trabalho voluntário, é muito importante para quem está internado. O riso é uma terapia muito boa, igual animais, eu amo e sempre recomendo”.

Tiago Dias e sua filha de 11 anos, Juju Raiz, encerram o festival com stand up que arrancou gargalhadas de todos os presentes. “Eu não conhecia o HGG, achei espetacular a estrutura do hospital, os funcionários, o trabalho de vocês, todo mundo muito receptivo. Esse projeto é sensacional. Apesar das máscaras, a gente consegue ver no olhar das pessoas que elas estão se divertindo, que elas conseguem sair daquele momento de tratamento, e acredito que vocês também veem isso, a cada show. Continuem, pois vocês estão fazendo a diferença na vida de muita gente, eu tenho fé. A minha filha tem só 11 anos e eu sempre deixo claro para ela, que é bíblico, amar ao próximo como a ti mesmo, e nossa proposta é levar alegria, principalmente para quem mais precisa, e ela disse que gostou muito”, enfatizou o humorista, que também é policial.

Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.