Hospital Alberto Rassi
Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(19/12/2018) HGG participa de II Seminário Estadual de Doenças Raras

Evento aconteceu no dia 13 de dezembro, no Auditório da SEST-SUS

O Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG participou nesta quinta-feira, 13 de dezembro, do II Seminário Estadual de Doenças Raras. Promovido pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-GO), o evento aconteceu no Auditório da SEST-SUS. O objetivo do encontro foi promover educação permanente dos profissionais de saúde e divulgar informações sobre os cuidados e os avanços na assistência para melhoria na qualidade de vida dos portadores das doenças raras.

O médico geneticista Ricardo Barbosa representou o HGG no Seminário. “Foi um evento bem interessante que reuniu profissionais, portadores das doenças, familiares e associações. Foi restrito à abordagem de três doenças: Epidermólise Bolhosa (EBH), Xeroderma Pigmentoso (XP) e Fibrose cística (FC), todas elas que fazem parte dos nossos atendimentos”, explicou.

Além disso, durante o Seminário, o médico explicou que foram abordados os fluxos de atendimento para atendimento estes doentes, sendo que pacientes com fibrose cística são encaminhados para o Hospital das Clínicas (UFG), pacientes com epidermólise bolhosa são atendidos no Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT) e os portadores de xeroderma pigmentoso são encaminhados para o HGG.

Um dos maiores hospitais de Goiás e o mais antigo de Goiânia, o HGG é referência internacional no tratamento de pacientes portadores de xeroderma pigmentoso, doença rara de origem genética que se caracteriza pela hipersensibilidade da pele aos raios ultravioleta.

Os pacientes atendidos neste serviço são acompanhados por uma equipe multiprofissional e contam com a possibilidade de acesso ao aconselhamento genético que busca aumentar a compreensão dessas pessoas sobre suas doenças, o caráter hereditário da mesma e autonomia sobre os seus cuidados e decisões de vida. Atualmente o serviço ambulatorial atende em média 52 pacientes/mês destinado ao serviço hospitalar para portadores de doenças raras.


Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.