Hospital Alberto Rassi
Acesso à informação Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(17/07/2020) Flávio Otoni leva música e momentos de descontração para pacientes e colaboradores do HGG

Sertanejo participou da última edição do Sarau Virtual da unidade, nessa quinta-feira, 16

Com um repertório recheado de músicas sertanejas de autoria própria e grandes sucesso de Victor e Léo, Marília Mendonça e João Mineiro e Marciano, Flávio Otoni encheu de alegria a tarde de pacientes, acompanhantes e colaboradores do HGG nessa quinta-feira, 16. Para alguns pacientes como a dona Eudóxia Cabral, 57 anos, que já frequenta o Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG há vários anos, o tradicional Sarau no hall dos andares ou no Jardim da Solistência está fazendo falta. Desta vez, ela só pode acompanhar o sertanejo Flávio Otoni pelo celular, já que com a pandemia o projeto precisou ser adaptado para a forma virtual. Moradora do Jardim Pompéia, Eudóxia está internada desde o último domingo, 12 de junho, e conta que é sempre muito bem recebida na unidade de saúde. "Aqui é uma segunda casa para mim, sempre faço acompanhamento do meu problema renal e sou muito bem atendida por todos", diz.

Na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), também encontramos o João Marcos Bernardes, 25 anos, que estava na fila aguardando um transplante há seis meses, e que na última segunda-feira, 13 junho, recebeu um novo rim no HGG. Morador de Anápolis, João Marcos nunca havia estado no hospital anteriormente e disse que está muito satisfeito com o atendimento. "Desde o dia que cheguei tive um bom atendimento, não esperava encontrar esse tipo de projeto musical aqui no hospital. Gostei bastante, principalmente para gente que está aqui na UTI e não pode usar o celular, ajuda a distrair", afirma.

Flávio agradeceu o convite e falou da alegria de participar do projeto de humanização da unidade do Governo de Goiás. "Para mim é muito importante fazer a alegria das pessoas, principalmente para quem está em tratamento em hospitais. Isso me faz sentir útil". Para ele, a arte serve para curar e transformar a vida das pessoas. E com toda certeza cura.

Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.