Hospital Alberto Rassi
Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(13/08/2019) Sarau com o Trio Los Julios agitou o HGG na tarde desta quinta-feira

Diversos estilos musicais despertaram muitas emoções na edição do dia 08 de agosto

O trio Los Julios agitou os pacientes, colaboradores e acompanhantes do Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG no dia 08 de agosto durante mais uma edição do projeto Sarau. Com muita irreverência, Bruno Borges, Ítalo de Oliveira e Rodrigo Makarrão alegraram e emocionaram várias pessoas que estavam nas enfermarias, no centro de Tratamento Intensivo (CTI) e no Núcleo de Cuidados Paliativos (NAPP) da unidade.

Cantaram samba, pagode, forró, reggae, sertanejo e até música religiosa, de acordo com os pedidos que iam surgindo em cada ala que passavam. O músico Ítalo de Oliveira lembrou que já tem alguns anos que participam, mas que foi a primeira vez que tocaram pelo hospital inteiro. “Eu gosto muito de participar do Sarau porque a gente tenta levar um pouco de conforto, de alegria para o pessoal que está em um momento difícil da vida, que está em recuperação. Hoje foi especial porque nunca tocamos tanto tempo aqui e foi muito bom”.

A paciente Carolina Melo filmou, seguiu junto com os músicos pelo corredor e elogiou bastante o projeto. “É de extrema importância, é uma coisa diferente. A gente que está internado, bate aquela tristeza, daí chega a alegria, a gente melhora, esquece a doença e pensa que tem um dia a mais de vida”. A acompanhante Luciana Lopes destacou como “é maravilhoso ter a música para alegrar essa tarde”.

Teve paciente que se animou tanto que arriscou até a dançar. Sirlei de Oliveira Brito cantou, dançou e disse que a iniciativa é perfeita. “É muito bonito, muito bom, ajuda muito os pacientes”. Já a paciente Josefa Moreira de Carvalho ressaltou que a música distrai. “Sinto falta de ter televisão aqui no quarto, mas hoje foi melhor porque tivemos música ao vivo”.

Maria de Fatima Barbosa Batista explicou porque se emocionou. “Muitas vezes a gente chora, mas de alegria com a música. Que continuem com esse trabalho tão bonito”. A paciente Luzia Vilela considera que o tratamento na unidade é “vip”. “Esse projeto ajuda os pacientes, levanta o astral, é muito bom. Eu amei, foi um diferencial aqui no hospital”.


Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.