Hospital Alberto Rassi
Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Notícias

(05/06/2019) Diversidade pauta XX Semana da Enfermagem no HGG

Servidores do hospital tiveram palestras, eleição de profissionais de destaque e oficina de pintura

A necessidade de trabalhar a diversidade foi o tema debatido durante a XX Semana da Enfermagem, realizada pelo Hospital Estadual Alberto Rassi – HGG, nos dias 30 e 31 de maio. A diretora de Enfermagem Natalie Alves Andraschko, durante a abertura oficial do evento no dia 30, citou a ampla concepção de diversidade e o preconceito embutido no termo. “Todos temos alguma diferença com a pessoa que está ao nosso lado. Mas aquelas diferenças que se sobressaem geralmente são pessoas que são excluídas pela sociedade e, aqui no HGG - não só a equipe de enfermagem, mas a equipe multidisciplinar - a gente vive diariamente a prática de incorporar o cuidado cultural à prática clínica. E com isso, a gente chega ao tão falado cuidado holístico, em que o ser humano é, de fato, reconhecido e visto em sua totalidade.”

Ela citou ainda a forma como a diversidade deve ser trabalhada, como forma de o hospital oferecer um atendimento único. “Pacientes aqui, independentemente de suas necessidades, se tornam iguais. Aqui a gente tem vários programas, várias linhas de atendimento, um fluxo de entrada em que esses pacientes chegam até nós. Nós temos programa de obesidade, transexualizador, um programa de doenças raras. São exemplos de parte da assistência que é feita pelo HGG e que realmente trabalham com essa inclusão.”

Já no encerramento do evento, na sexta-feira, a coach Camila Carvalho Alves falou sobre autosabotagem, seja no campo pessoal quanto profissional. “Falamos um pouquinho sobre quais são os desafios da enfermagem não só (dos colaboradores) como profissionais, mas como pessoas. Como pessoa, hoje a gente entra no ciclo da autosabotagem com culpa, como medo, como nos sentir muitas vezes inaptos com as coisas do nosso dia a dia. A gente acha que é pequeno demais, começa a comparar com profissionais de nossa área e também com os profissionais do mercado de trabalho.” O evento contou ainda com a palestra do psicólogo Marco Antônio Ribeiro Morais, que falou sobre questões de diversidade de gênero na atuação da enfermagem.

Profissionais de destaque
Como ocorreu nas demais edições da Semana da Enfermagem, houve a entrega do prêmio Profissional Destaque, que homenageou 24 profissionais – enfermeiros, técnicos em enfermagem e auxiliares de enfermagem - que se destacaram, eleitos pelos próprios colegas. “Acho que é aquele momento em que a gente mesmo expressa nosso amor pela profissão e pelos nossos colegas. Acho bastante interessante o hospital lembrar da gente nessa hora. E como profissional de destaque parece que dá uma força para trabalhar o ano inteiro, parece que você volta com as energias renovadas” cita a enfermeira da Clínica Médica Maria José Alves de Oliveira, uma das homenageadas. “Acho que valoriza todos, não só aqueles que receberam as premiações. Essas pessoas que receberam as premiações estão representando cada setor. Todos nós somos importantes, todos nós temos nossa valorização.”, completa Graziela Freire Cavalcante, enfermeira ambulatorial, também agraciada pelo prêmio.

Enfermeiros artistas
Além das discussões sobre a profissão, a Semana da Enfermagem contou ainda com momentos lúdicos para os profissionais. Houve um show do cantor Xexéu na abertura do evento, e uma oficina de pintura, que despertou a criatividade e o talento dos colaboradores da área de enfermagem do Hospital. “Foi a primeira experiência que eu tive com pintura, com tela, o pincelzinho, a tinta...Eu estou apaixonada. A única coisa que passa pela minha cabeça é que não sei como saiu esse desenho. Eu só desenhei esse cachorro porque meu filho gosta demais e fico pensando na cara dele quando eu der um cachorro que eu pintei”, disse a técnica em enfermagem Carla Dotti ao finalizar a tela que fez durante a oficina.

A destreza e o cuidado dos profissionais chamaram a atenção do artista plástico Alexandre Liah, voluntário do HGG que ministrou a palestra. “Eu percebo que eles têm uma noção, mesmo aqueles que nunca tiveram, nunca praticaram o desenho e a pintura, eles têm uma noção do que eles querem fazer. Eles já chegaram determinados a fazer um tema e a pintura é uma pintura bem feita, limpa, caprichosa, que tem um cuidado. A gente percebe que eles têm um cuidado. É interessante, você pode notar que isso faz parte da profissão deles, de enfermeiro. De cuidado, cuidado com o material, com os pincéis, com a tela, a preocupação com a estampa. Então, eles têm toda essa preocupação. É diferente, muito diferente.”


Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.