Hospital Alberto Rassi
Fale com a Ouvidoria Saiba como fazer parte da equipe do HGG Perguntas Frequentes Entre em contato com o HGG    




Acreditação Nível 1

Acreditação Hospitalar Nível 1





Critérios avaliados pela Organização Nacional de Acreditação (ONA) – Nível 1

Segurança do Paciente:

• Avaliação das políticas instituídas como diretrizes para cumprimento da missão para o alcance da visão com foco na humanização, segurança e na qualidade do cuidado e dos serviços;

• Desenvolvimento da cultura da gestão da qualidade e mensuração de indicadores e a efetividade do Comitê da Qualidade;

• A existência de registros formalização dos processos;

• Comunicação interna;

• A interação entre Gestão e Usuário;

• Existência de avaliações e prevenção de falhas que conduzam a uma maior eficiência e eficácia;

• Sistema de Identificação do Paciente e Eventos Sentinela: diretrizes e ações destinadas a prevenir, controlar, reduzir ou eliminar riscos da gravidade das infecções e eventos adversos;

• Laboratório de Anatomia Patológica: atividades voltadas para solicitação da análise, coleta de amostra, transporte, cadastro e triagem, com segurança;

• Laboratório de Análises Clínicas: atividades seguradas voltadas para a solicitação da análise, coleta de amostra, transporte, cadastro e triagem;

• Gestão do Corpo Clínico e Comissões: funcionamento e conformidade das comissões;

• Planejamento da assistência multiprofissional ao paciente considerando a individualidade;

• Hemoterapia: Banco de Sangue e Agência Transfusional;

• Gestão administrativa e financeira: mobilização e recursos visando manter a sustentabilidade da organização e o alcance dos objetivos definidos no Planejamento Estratégico;

• Processamento de roupas: atividades que assegurem a atividade e disponibilização da roupa, assegurando a sua integridade;

• Assistência nutricional: oferta de produtos para assegurar a promoção, prevenção e recuperação nutricional;

• Gestão de Pessoas e SESMT: Coordenação das ações relativas ao Planejamento de Recursos Humanos, atendendo aos requisitos formais, técnicos, estrutura e de saúde e medicina ocupacional;

• Processamento de materiais e esterilização: atividades destinadas ao preparo, esterilização, guarda e distribuição dos materiais;

• Armazenamento e transporte de materiais biológicos: assegura as condições de transporte, estocagem e preservação de materiais e medicamentos, garantindo a sua integridade e conservação;

• Gestão da manutenção predial e qualidade da água;

• Gestão de suprimentos: promoção de ações relativas à qualificação, planejamento, aquisição, armazenamento, rastreabilidade e disponibilização de materiais e medicamentos;

• Higienização e resíduos: assegura a higienização de toda a estrutura da organização, contemplando o controle de pragas, vetores e política de Gestão de Resíduos;

• Gestão de equipamentos e tecnologia médico hospitalar: realiza a gestão do parque tecnológico dos equipamentos de suporte para a assistência hospitalar;

• Métodos endoscópios e videoscópios: permite a execução do exame endoscópico, assegurando a consolidação diagnóstica;

• Métodos diagnósticos e terapêuticos: realização de propedêutica e investigação de patologias, que apoiam a tomada de decisão clínica, com segurança;

• Radiologia intervencionista: detecta, caracteriza e analisa corretamente imagens, propiciando a interpretação segura, a consolidação diagnóstica, o planejamento e a execução terapêutica;

• Assistência farmacêutica: abastecimento de medicamentos, a conservação e o controle de qualidade, a segurança e a eficácia terapêutica, o acompanhamento e a avaliação da utilização;

• Gestão da Segurança: realiza procedimento de controle de acesso às instalações e para prevenção de incêndio, furto, roubo, acidente, explosão, etc, a profissionais e clientes;

• Sistema de Informação do Paciente/Cliente: garantia da integridade dos dados do cliente/paciente permitindo gerar informações consistentes e seguras com o objetivo de propiciar a continuidade da assistência e a qualidade da prática clínica;


Foram avaliadas, de forma geral, as dimensões da qualidade, medindo os resultados da organização em relação aos padrões apresentados pelo manual da ONA, os quais seguem descritos abaixo:

1 - Aceitabilidade: Adaptação dos cuidados aos desejos, expectativas e valores dos pacientes e de suas famílias. Depende da efetividade, eficiência e adequação, além da acessibilidade do cuidado, das características da relação médico-paciente.

2 - Adequação: Torna-se relevante a medida que os efeitos do cuidado da saúde não são avaliados em forma absoluta, mas relativamente aos custos.

3 - Efetividade: É a relação entre benefício real oferecido pela assistência à saúde e o resultado potencial, representado esquematicamente por uma fração em que os estudos epidemiológicos e clínicos oferecem e resultados para obter a resultante desta relação.

4 - Eficácia: Capacidade de produção de melhorias na saúde e no bem-estar. Significa o melhor que se pode fazer nas condições mais favoráveis, dado o estado do paciente e mantidas constantes as demais circunstâncias.
5- Eficiência: É a relação entre o benefício oferecido pela assistência à saúde e seu custo econômico.

6 - Equidade: Distribuição dos serviços de acordo com as necessidades de saúde objetivas e percebidas da população.

7 - Integralidade: Conjunto articulado e contínuo de saberes, processos e ações preventivas, individuais e coletivas, exigidas para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema (Lei 8080/90).

8 - Legitimidade: É a possibilidade de adaptar satisfatoriamente um serviço às partes interessadas ou à sociedade como um todo, confirmando sua aceitação e credibilidade.


Fonte: IDTECH





Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.